Preto: Voltei porque gosto de jogar futebol.

O contrato de três meses sequer foi protocolado na CBF e o Bahia já pensa em escalar o meia Preto contra o Fast Clube, sábado, na cidade amazonense de Itacoatiara. O clube espera regularizar o jogador até amanhã – prazo limite para as inscrições na Série C do Campeonato Brasileiro. Com a confirmação do nome no Boletim Informativo Diário (BID), a decisão caberá ao técnico Arturzinho.

Preto garantiu que seu retorno ao tricolor não terá pesado ônus aos cofres do clube. O contrato de risco prevê pequeno salário mensal e um acréscimo por partida disputada. “Há uns dez anos não recebia tão pouco. Voltei porque gosto de jogar futebol e quero jogar bem. Eu me submeti a fazer um coletivo na última sexta-feira para provar à diretoria que estou recuperado”, explicou.

Coletivo decide

O time principal teve Márcio, Carlos Alberto, Alison, Eduardo e Adilson; Fausto, Emerson Cris, Inho (Elias) e Cléber (Preto); Charles (Moré) e Nonato. É possível que Preto estreie contra o Fast Clube ao lado de Cléber – esse com retorno garantido após cumprir suspensão. Tudo depende do seu desempenho no coletivos de hoje à tarde e amanhã pela manhã, no Fazendão.

Viaje para Manaus

A viagem até Manaus, está programada para as 17h25 de amanhã. A delegação tem chegada prevista para as 23h30. A antecipação da partida contra o Fast para sábado modificou a programação do Bahia, que a princípio só deixaria Salvador na sexta-feira.

Danilo Rios

Craque baiano à moda gaúcha. Danilo Rios vestirá mesmo a camisa do Grêmio, e pelos próximos quatro anos. O garoto desembarca em Porto Alegre hoje e segue para o Olímpico, onde realiza exames médicos e assina contrato. Informação oficial. O departamento de futebol do clube gaúcho confirmou a notícia ontem, contrariando versão da diretoria do Bahia.

O desempenho no Campeonato Brasileiro Sub-20 do ano passado, disputado no Rio Grande do Sul, concretizou o interesse. “Ele foi o melhor jogador daquele campeonato”, garantiu o diretor de futebol do Grémio Paulo Pelaipe.

R$1,1 milhão

Apesar da aposta no jovem canhoto, o Grêmio não coloca a mão no bolso, a não ser para bancar luvas e salários. O Bahia repassou 100% dos direitos federativos e econômicos a um grupo de empresários por R$1,1 milhão, e o jogador permanece em Porto Alegre em esquema de parceria. A transferência foi intermediada pelo empresário Carlos Leite.

Crítica
Os críticos não aceitam a venda prematura da jovem promessa de apenas 19 anos, e justo em meio à Série C. A transação foi mesmo arriscada. O Bahia perde sua principal referência no meio-campo e – em caso de novo fracasso no Campeonato Brasileiro –, não faltará quem aponte a ausência do canhoto como motivo.

Sem direitos

Ao clube não restou sequer 1% dos direitos sobre o jogador, que tende a ter o valor do passe multiplicado daqui em diante – exatamente como aconteceu com Daniel Alves, vendido por pouco mais de US$1 milhão e atualmente avaliado pelo Sevilla (Espanha) em 40 milhões de euros.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*