Edinho Nazareth não é mais diretor de futebol do Vitória

A campanha irregular do Vitória no Campeonato Brasileiro já fez a segunda vítima (a primeira foi o técnico Givanildo Oliveira). Edinho Nazareth não é mais diretor de futebol do clube e hoje assume no seu lugar Renato Braz, que exerceu a mesma função no Bahia no ano passado. A demissão de Edinho Nazareth aconteceu depois de uma reunião realizada ontem, entre o presidente Jorginho Sampaio e o conselheiro Alexi Portela Júnior e que terminou ao meio-dia. O conselho deliberativo não estava satisfeito e pressionou muito para a sua saída. O ex-diretor de futebol exerceu o cargo por cinco meses no clube.

Renato Braz foi comunicado da decisão momentos depois da reunião. No rubro-negro há quase dois meses, o novo diretor começou como gerente de futebol e com a responsabilidade de ficar à frente do time do Atlético de Alagoinhas na parceria que o Vitória fez para ajudar o representante interiorano no Brasileiro da Série C. Com a eliminação do Atlético, ele ficou somente cuidando do Vitória e inclusive, na semana passada, esteve em Criciúma, Porto Alegre e Curitiba em busca de jogadores para os profissionais e também para as divisões de base.

Pivô – A situação de Edinho Nazareth era a pior possível, principalmente com o elenco de profissionais. Os jogadores, em sua maioria, não gostavam dele. Ele foi o pivô para a saída do meia Cléber. Na ocasião, a diretoria acatou. O caso mais recente foi com Sandro e só agora com a sua saída é que os fatos estão chegando ao conhecimento da imprensa. O capitão teria tido uma discussão com ele há duas semanas, aproximadamente, e chegou até a arrumar as malas para deixar o clube, quando foi demovido da idéia. Outro também que não tinha bom relacionamento com ele era o atacante Joãozinho. O zagueiro Thiago Gama, dispensado no mês passado, também teve problema com o ex-diretor e, por pouco, não chegou às vias de fato.

Na verdade, Edinho estava sem ambiente no clube. Com o ex-técnico Givanildo Oliveira, os dois apenas se cumprimentavam. Edinho Nazareth só fica ao lado de Jorginho Sampaio e Alexi Portela Júnior quando os três realizam reuniões. Nos treinos e nos jogos, ficava distante. Na maioria das vezes, Edinho ficava isolado na sua sala e pouco acompanhava o trabalho de campo. Era mais burocrático. Nos jogos, tanto em Salvador como fora de casa, não comparecia nos vestiários.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*