Falta qualidade na arbitragem ou os erros são propositais?

Não costumo falar ou comentar sobre esse assunto, mas devido a solicitações sobre, resolvi relatar o que acho realmente sobre a arbitragem contra o Bahia, aliás, contra todos os times de menor expressão nacional, principalmente os nordestinos.

Enfim, o Bahia no último jogo foi prejudicado pela arbitragem em alguns momentos de forma não acintosa, mas por falta de qualidade de nossa arbitragem. No final do 1º tempo, o volante Gabriel do time Corinthians, fez uma falta por trás em Edgar Junio e o juiz fez vistas grossas e não o expulsou naquele momento. 1 º erro!

Voltou para o 2º tempo esperando qualquer lance para expulsar o jogador do Corinthians. E errou pela segunda vez!

De fato, o time paulista é maior que o Bahia, joga o melhor futebol ao lado do Grêmio no Brasil, é líder da competição, tem a segunda maior torcida do país e estava jogando em casa. O que tudo isso quer dizer? Que o arbitro achou uma forma de compensar a expulsão do Gabriel, mas um erro, pois em momento nenhum, René foi desleal na disputa de bola, foi um choque normal de jogo, onde ambos estavam disputando a bola. Três erros, dois por falta de qualidade e um acintoso!

Em um momento em que o Bahia era superior ao time paulista, dominava as ações, estava mais perto do empate do que sofrer o 2º gol, mesmo com os erros individuais nos gols do Corinthians, o Bahia jogou melhor, teve domínio no meio de campo, trocou mais passes, errou menos, mas errou 17 finalizações no jogo, perdeu para ele mesmo e foi prejudicado pela fraca atuação do juiz, seja ela por falta de qualidade ou de forma acintosa, para prejudicar o time nordestino.

É isso, o futebol para times nordestinos é a cada dia mais difícil, pois além de ser menos favorecido financeiramente e estruturalmente, os times serão prejudicados de forma acintosa e equivocada constantemente. Infelizmente, quando se tem dúvida, a arbitragem favorece os times maiores, pois se errarem contra os ” grandes”, possivelmente ficaram um bom tempo sem apitar, mas se errarem contra os ” pequenos” vão pegar pouco tempo de suspensão e será facilmente esquecido o erro.

É isso, tem muitos lances, em que o Bahia é prejudicado por interpretação e não de forma acintosa, foi assim no pênalti contra o Palmeiras, foi um erro aceitável, o juiz marcou com convicção, respeitou a lei, não puniu Becão e nem puniu o Bahia com a expulsão do zagueiro. Vejam que o lance é tão duvidoso, que os especialistas divergem nos comentários e quando acontece isso, dificilmente chegaremos a um denominador comum.